16 de abril de 2011

Zero Grau ( Adersen Chrestani )

ZERO GRAU
Adersen Chrestani

Eu mal esperava
A manhã vestida de branco
A neblina que cerra
O sol que se esgueira...
Fogão à lenha.
E na tarde fria ensolarada
Pessoas na calçada...
Calor humano.
E quando a noite chega
Longa, elegante e negra
Um cálice de vinho
Olhos nos olhos...
O amor.
Na madrugada
Paixão exacerbada...
Calor do cobertor.
Publicada em Zero Hora, no dia 19 de abril de 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário