16 de abril de 2011

Indesunível ( Adersen Chrestani )

INDESUNÍVEL
Adersen Chrestani

Às vezes saio de mim,
Viajo em mundos outros,
Em dimensões tais,
Que nem posso dizer.
Ma abstraio do eu corpo,
Pecador por natureza,
Que fica assim,
Ferida aberta,
A esperar o eu que foi
Em busca da pureza.
Viajo além dos sete pecados
Até o mundo onde habitam
Os pensamentos,
Prá me isolar de mim mesmo,
Como ensinou o poeta.
Quando volto trago a leveza
Antes intangível
E a certeza que essa cisão
Me fez sereno e forte
Juntando meus eus
Num único indesunível.
I(Publicada em Zero Hora, no dia 11 de setembro de 2007).


Nenhum comentário:

Postar um comentário